quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Coisas que eu estou sentindo

   Nos últimos dias, fico a pensar no que consiste minha existência, mas acho que não é sobre isso que eu quero escrever, quero apenas desabafar, colocar aqui o que etá passando na minha cabeça agora.
   Minha vida tornou-se um inferno desde que me apaixonei, na verdade, não sei se realmente é paixão, só sei que é proibido por um motivo que não posso escrever aqui.
   A pessoa que se tornou meu motivo de alegria e ao mesmo tempo de tristeza, não me ama tampouco me ver como mulher, ver-me apenas como uma garotinha que lhe dá orgulho e que algumas vezes precisa de uns "puxões na orelha".
   Saber que ele não me nota, faz com que me sinta péssima, mas não choro e isso faz com que essa dor acabe com minha alma e endureça meu coração.
   Finjo que não me importo com nada, muitos dizem que não tenho sentimentos (queria que não os tivesse mesmo). Isso é só uma máscara, se a retirasse, todos veriam que por trás dessa pose de rebelde, sou apenas uma garota com a alma e o coração feridos.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Tristeza


Estou sozinha,
caí em prantos ao perceber que a culpa é minha
agora, tranco-me com com essa dor que devora-me
que apavora-me
e faz com que eu me afaste das pessoas
às vezes acho que isso soa
como se eu fosse uma louca
mas sou apenas uma boba
que não confia em ninguém
e que sem querer apaixonou-se por alguém.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Não sei se...

Não sei se devo chorar
ou se devo te odiar
por você ter brincado comigo
e no final ter dito que não passamos de amigos

Não sei se fico chorando
ou vou esquecer tudo que está me afogando
agora só quero te odiar
ir para algum lugar e nunca mais voltar

Não sei se um dia vou amar novamente
quando isso passa pela minha mente
não consigo pensar em mais nada

Talvez, agora eu pareça frustrada
mas isso foi bom pra eu aprender
que o amor fez-me ser mais uma idiota que vivia pensando em você.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Talvez tentar me afastar de você seja um erro fatal
mas a dor de ver-te e não te ter, pra mim é mortal
é um peso que tenho que tirar das costas
tenho que procurar por respostas
para tentar te esquecer
para que um dia, não seja preciso sofrer
por um amor que não foi correspondido
e ficou guardado em mim como um grito
de dor em um lugar vazio
que deixou meu coração frio
e impediu-me de falar,
impediu de te amar.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Sinto-me livre apenas quando escrevo (Julião Bernardes)

Sinto-me livre apenas quando escrevo
e bebo no Universo
as palavras aonde soa um verso
e nelas me relevo.

Ser livre de outro modo nunca o soube.

Na entrega do abandono
até nem sei se sou escravo ou dono
da sorte que me coube.

Esta foi a poesia que me inspirou, não só a ultilizá-la como o nome do blog, mas me inspirou a escrever sobre o que eu realmente sinto.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

As cores


   As cores me fizeram ver que nem tudo é ruim. Antes eu só via o cinza, achava que no mundo não existia coisas bonitas, mas depois que as pessoas insistiram pra eu vê-las, abri os olhos e descobri que no meio em que vivo há diversas cores e que elas fazem bem aos olhos e ao coração. Elas fazem com que eu veja a beleza que que está lá fora e a beleza que está em mim.
   Não vou negar que continuo vendo a maioria das coisas em tons de cinza, ainda vivo na escuridão, mas ninguém muda da noite pro dia. Se eu não conseguir tirar completamente meu olhar do lado negro e levá-lo para o lado mais colorido, não tem problema, o que importa mesmo é que eu tentei mudar.