sábado, 30 de abril de 2011

Medo

Sinto medo
medo de perder-te
medo de perder-me
perder-me em você
em seus lábios
em meus desejos de possuir-te

Sinto-me amedrontada
tenho medo de tudo 
tudo o que há no mundo
tudo o que há no meu mundo
tenho medo de no fim perder-me
e nunca mais voltar

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Mais um poema sem título

Você fez mil juras de amor
eu acreditei
dei-me para você
completa
entreguei-lhe minha alma
mas você jogou fora
jogou fora todo o meu ser
o que sou de verdade
para você eu disse "eu te amo"
mas você não ouviu
foi embora
e não disse-me adeus