segunda-feira, 9 de maio de 2011

Feridas da alma


Saber que tenho uma amiga para todas as horas conforta-me. Descobri nas giletes, enfeites de cabelo, facas e tampas de canetas uma droga que faz-me esquecer toda a dor que sinto.
Sentir a dor nos meus braços faz com que me sinta bem, anestesiada. É como se toda a dor da minha alma desaparecesse.
O sangue que flui dos meus braços e como se fosse as lágrimas da minha alma.
As pessoas criticam a forma que uso para "acabar com a dor", elas não sabem o que sinto para fazer isso e nunca saberão. Não posso para de me auto-mutilar porque minha dor sufoca-me como uma corda no pescoço de um condenado a morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário